I Had a Dream…

Não. Não tem nada a ver com Martin Luther King. Na verdade meus sonhos são muito menores e não vai passar em televisão ou coisa do tipo. Mas tive um sonho tão surreal, engraçado, esquisito e outras coisas, que vale a pena imortalizar. Se prepara porque é longo.

Tá. Começava com euzinha indo encontrar com um amigo meu e uns amigos dele. Já começou a fazer pouco sentido porque eu não sairia com ele e com uns amigos que eu não conheço, apesar de conhecer alguns. Por algum motivo escuso, eu tinha chutado o balde de alguma coisa na vida e estava indo pra um baile funk, de ônibus, no meio da tarde. Outro erro grosseiro.
No meio do caminho eu olho pra ele e digo: “Poxa, não vou não. Tenho prova amanhã.” Ele me olha com uma cara de ‘que pena’ e eu salto do ônibus. O único detalhe é que se EU tinha prova no dia seguinte, ele provavelmente também teria. Mas tudo bem. Desci do ônibus.
Quando dou por mim estou no meio de uma estrada, que aparentava ser na Gávea. Mediunicamente, talvez, eu sabia que uns amigos estavam em um apartamento ali próximo. Então fui eu pra lá. Cheguei no apartamento não sei como. Voando, teletransportando, sei lá. Não lembro de elevadores ou escada pra subir. Meia dúzia de pessoas num ócio total se encontravam. Alguém me pedia alguma coisa pra ver no computador da casa, que por sinal era muito bonita, e o prédio era muito feio, tipo sobrado, prédio antigo, ah, coisa do tipo.
Sento eu no computador e começo a baixar/instalar um jogo que combinava corrida com futebol. Quando dou por mim estou sozinha na sala até que alguém aparece. E quem é? É só o Tiger Woods. Ninguém mais. Completamente nervosa, começo a dialogar com ele, em inglês óbvio, que se mostrou muito simpático. E do nada ele pergunta: “Você é Venezuelana?” Eu respondo e pergunto o por quê daquela pergunta tão específica. Aí o carinha diz que é por causa do meu inglês. Po, magoou. Meu inglês nem é tão ruim assim. Mas não discuti. Só queria terminar o que tinha começado no computador.
Termino, afinal, o que fazia. Ele gentilmente me oferece uma cópia da chave dele pra que eu saísse e ele pudesse fazer sabe-lá-o-quê. Ah, nesse momento ele me dá um dinheiro, que supostamente eu deveria usar pra comprar um lanche no McDonald’s pra ele. Peguei a chave, fechei a porta. Desci meia dúzia de degraus (só então descobri que era um prédio sem elevador). Subi de novo e abri a porta pra devolver a chave (tá, não faz o menor sentido, mas é um sonho). No momento que abre, vejo Tiger Woods de T-shirt “emo” e de bunda de fora. Enquanto isso, escuto o barulho do chuveiro e no mesmo momento ouço ele falar com um mordomo que me achasse porque tinha ficado faltando uma parte do dinheiro. Tudo isso em segundos. E ele não me viu.
Fechei a porta e fui descendo. E veio o mordomo atrás de mim. Fui receptiva enquanto ele foi um grosso, achando que eu era uma “mulher da vida”, tentando se aproveitar de uma pessoa famosa e rica como nosso querido Tiger é. Eu digo que não, que ele estava enganado e tal.. tentando me defender, né. Nada adianta, ele pega o dinheiro da minha mão. Chego à portaria, encontro minha mãe na rua e vamos embora.
Não fomos pra casa, mas pra uma espécie de resort. Vários amigos dela lá, lugar bacana. Passamos o final de semana ali, aproveitando tudo de bom, com pessoas que eu não me lembro quem são e alguém que talvez fosse uma prima, mas que não era nenhuma das minhas primas de verdade.

O estranho é porque o lugar era chique, tinha uns funcionários que ficavam parados nos corredores só esperando você pedir as coisas mais absurdas ou favores comuns de um lugar como aquele. Mas toda vez que eu olhava pro lado, eu via um lado super portelinha. Tinha 2 barracos, várias cadeiras de praia enferrujada, cerveja no isopor, essas coisas. E minha mãe estava lá! E no meio dessa confusão, tinha uma menininha linda, de uns 2 anos. A todo momento ela era de uma educação ímpar. Estava sempre sentada em frente a um computador (que parecia ser o meu de verdade, esse que uso neste exato momento) só observando. Não mexia em nada, só olhava. Parecia o sonho de qualquer mãe que se preze. Era lindinha, morena, de xuxinha, saia, coisa fofa de ver. E ela gostava de ficar no meu colo! Só em sonho, né?!?!?!

O fim de semana acabava, eu não ia fazer a prova que me impediu de ir ao Baile funk. Eu não via mais o Tiger Woods e nem o mordomo. Eu não sei como cheguei no tal resort, mas sei que ao sair de lá vi palmeiras tão, mas tão altas que me sentia uma anã. Quando tentei tirar foto delas, acordei. Ou o sonho acabou. Sei lá.

Só sei que foi assim, e sempre sonho coisas loucas, mas dessa vez foi de uma variedade de temas e situações tão bizarra que nem deu pra esquecer, apesar de ter sido há 2 dias atrás. Mas prometo que não colocarei mais essas coisas aqui. Vou postar só meus devaneios em lucidez e consciência.

Anúncios

4 comentários em “I Had a Dream…

  1. Mega hilário!
    “Você é Venezuelana?”
    hahahahahahahahahahahahahahahahah
    Miacabo!!!!!!!
    Essa noite tb tive um sonho bizarro… Mas so lembro de umas coisas… Foi super estranho, envolvendo mtos carros de policia, acidente de avião, viagem, sei la…
    E outro dia tive um mega horrivel, envolvendo a Fergie, assassinatos, sangue… 😛
    Medo…
    Bjssssssssss

  2. Oi, pessoa,
    como você descobriu meu blog? só curiosidade…

    Valeu pela visita e pelo comentário. Vc tb anda pelo mundo tendo sonhos bizarros, é? que coisa a nossa vida, né?

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s