Sem tomar partido…

Esse post tem tudo pra ser tachado de hipócrita. Mas digo, essa política brasileira me irrita, me cansa. E sabe o que me cansa mais? Ver um bando de gente se revoltando com tudo, com toda a corrupção, com os políticos levando nosso dinheiro e construindo/comprando castelos. Eu devia achar bom, não? Pois é, mas revolta passiva não muda nada.
Eu? Eu não me meto. Porque sou apolítica, se é que a palavra existe. E não é que eu não me preocupe com o futuro do meu país, com o que fazem com o dinheiro dos impostos que pago. Mas sei que eu não tenho tesão em fazer nada.
Há uns 2 ou 3 meses atrás, parei pra ver um documentário num canal aí, falando das Diretas Já, como o povo se mobilizou, como foram às ruas reivindicar direitos. Aquilo lá foi louco. Eu tinha acabado de nascer, aliás, nasci ainda na ditadura.
Personalidades importantes, artistas, cantores, formadores de opinião em palanques, todos por uma mesma causa.
Naquela época se fazia política. Sempre tivemos nossos ladrões, mas os relatos dos políticos da época eram genuinamente sobre política. E por pior que eles fossem naquela época, eles gostavam da política, no sentido mais puro. Era uma época em que acompanhar debate em Senado ou em Assembléias Legislativas devia ser legal, porque era debate, era discussão, era troca de idéias. E na maior parte das vezes, creio eu, pelo bem do todo.
De novo digo, talvez eles roubassem também naquela época, mas mesmo assim se via política.
O que temos hoje? Uns metidos a espertos, fazendo o povo de bobo, que pouco entendem a função e importância dos cargos que exercem. Votamos e acreditamos em pessoas porque são bonitas. Sim, isso ainda acontece e eu ouvi uma mulher, teoricamente esclarecida, dizendo que tinha votado em fulano porque era um ‘homão’.
Se você colocar naqueles canais de justiça, é triste. É o Congresso VAZIO, com meia dúzia de subversivos de bom coração, mas que não sabem agir ou mobilizar, gritando ao microfone achando ,que será ouvido. É Assembléia Legislativa aprovando projetos de Lei sem parar pra ouvir. É terrível.
Hoje os microfones até são mais ‘abertos’ porque não vivemos na ditadura, mas os ouvidos só escutam o que é de interesse próprio.
Desculpem-me a intolerância, mas como podemos eleger pessoas que literalmente ditam o que será de nós, se essa pessoa não tem instrução? Criar leis não é só ter uma idéia e achar bacana. É muito mais do que querer fio-dental nos restaurantes. É lidar com a vida dos outros, com a liberdade alheia, com a felicidade de uma nação inteira. E acabamos elegendo quem nem nunca ouviu falar em Processo Legislativo, não sabe a diferença de Lei Ordinária pra Lei Complementar… Não, não digo que políticos tinham que fazer  faculdade de Direito, mas tinham que ter informação, educação. Isso. Educação, pra conseguir educar o povo. Mas educação traz saber, e saber traz informação. E cidadãos com informação e não ignorantes é ruim para os poderosos, que não teriam como roubar de todos.
O futuro que vejo pra tudo isso é muito ruim. E nesse estágio em que chegamos, sinceramente não acredito em melhoras. Mas são palavras de uma pessimista passiva.
E por isso disse que seria um post hipócrita, mas desculpem-me. Não tenho menor vontade de me inteirar e agir, reagir à política que este país faz agora. Se fosse em 1984, eu estaria lá, porque só de ver o documentário me emocionei com a força que todos tinham quando lutavam por uma causa maior.
Mas hoje… só assisto um país tão lindo, tão cheio de potencial, afundar no meio do oceano atlântico, afundar em suas próprias escolhas burras. Eu só faço sentir muito ver que 25 anos depois do auge da política, o melhor que o povo faz é ficar fazendo protestos online.
Tá.. mas se eu nem isso faço, to falando o que, né? Eu me posicionei. Anulo meus votos ou voto em conhecidos em quem realmente coloco minha esperança de fazer alguma coisa. Se tá tudo ruim, tenho consciência de que talvez eu tenha participação nisso. E até a próxima eleição, é algo a se pensar. Mas fazer protestos atrás de uma tela, se achando o revolucionário é coisa de idiota. Mas aqueles que vão às ruas e fazem-se ser ouvidos, eles têm meu aplauso, desde que não façam baderna e, infelizmente, quando se vê um protesto, é isso. Baderna. As pessoas deveriam trazer à memória a geração cara pintada, Diretas Já e usar isso como parâmetro.

Ser fiel a ideais é lindo, de verdade. Mas o grito só faz ensurdecer a quem também está a gritar. Ou àquele que resolveu não participar. É preciso ações verdadeiramente passíveis de criar um impacto no nosso Brasil.
Se meus filhos vão passar por isso? Sinceramente espero que não; tamanha ignorância e desesperança  em que vivemos não desejo ao futuro.

—————-
Now playing: Julia Nunes – Julia Nunes – I love you
via FoxyTunes


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s