Eu quero um lugar ao sol de Ipanema, cinema e televisão

Este mês é mês do meu aniversário, mês que me dou total liberdade para indulgências. Nada mais justo. Viver tem sido uma tarefa bem complicada nos últimos tempos.

Viver nos últimos 4 meses: perder emprego, terminar relacionamento. Cortar o cabelo e fazer um piercing. Ser deixada em muitos, muitos maus lençóis. Precisar da ajuda de amigos quando se mais precisa. Ter DR pós relacionamento. Decidir que tem gente muito chata na vida e que não dá pra se relacionar. Criar laços com outras pessoas incríveis. Reaver amigos queridos que te tiram do buraco no pior momento da sua vida.Ver tudo que entendia como uma vida minimante tranquila ir pro ralo. Desistir e em uma semana voltar atrás e acabar me envolvendo em mais um projeto, que eu tinha me prometido que não faria. Sentir e viver o carnaval d Continue lendo “Eu quero um lugar ao sol de Ipanema, cinema e televisão”

Sabe aquela coisa da vida que a gente às vezes reclama dia sim e outro também? Então. É isso. Na verdade acho que o problema está na minha timidez AND falta de autoestima pra agir quando vejo alguém interessante.

Quando menos se espera a pessoa já está com outra pessoa e nem chance de dar um “Oi, você vem sempre aqui” eu tenho. Mas a culpa é minha.Ou por ser desinteressante ou por ser trouxa mesmo.

Em dias e fases de depressão, coisa linda que não me abandona, confesso que bate bem errado esse sentimento todo. E aprofunda ainda mais coisas desnecessárias. Daí o que me resta? Desabafar com ex.

Tá fácil a vida em 2017. Tão fácil que eu devo voltar por aqui mais vezes pra evitar surtar sozinha.

Beijos no coração, de um coração partido.