Evoluindo ou enlouquecendo?

O que uma vida de ócio constante não faz com um ser humano. Acho que estou na pior onda de “nada pra fazer” da história da minha vida. E olha que “minha vida” tem muitas histórias. Pra todos os gostos, idades, crenças, culturas e etc, heheh.

Meu relógio biológico enlouqueceu de vez. Dá 4 da manhã e estou com a corda toda. É até bem engraçadinho, se não fosse pelo fato de acabar indo dormir umas 5, acordando milhões de vezes até levantar de vez, às 14. E nessa de acordar muito, almoço, volto e durmo mais um pouco. No final das contas meu dia só começa às 17. Engordei horrores. Não consigo ler metade das coisas que PRECISO ler. E quando começo é madrugada.

Confesso que estou prestes a ligar pra todos os canais televisivos e pedir programação melhor nas madrugadas. Poxa vida, só programa ruim de ver, nada interessante… Não posso negar que por conta de coisa melhor pra fazer parei pra pensar, tive um insight ou coisa que o valha por conta de uma conversa de MSN (as pessoas também precisam ir dormir mais tarde, diria meu lado mais egoísta…)

Arredondando, estamos em Novembro. Final de outubro. Semana que vem já é novembro. Fazendo um balanço, o ano foi o seguinte (na ordem que vêm à minha cabeça, e não dos acontecimentos):

  • Estou sem emprego e/ou ocupação desde março;
  • Me apaixonei por Clarice Lispector;
  • Fui a Brasília 2 vezes;
  • Fiz 2 provas para a OAB;
  • Me inscrevi em uma seleção de Mestrado;
  • Me inscrevi em milhões de programas de trainees;
  • Não anulei meus votos, como de costume;
  • Comprei algo em torno de 15 livros, contando os jurídicos;
  • Conheci cerca de 8 bandas/artistas diferentes;
  • Tomei grande quantidade de bebidas alcóolicas;
  • Perdi o medo de Labradores;
  • Descobri que quero um cachorro;
  • Saí pra dançar umas 3 vezes no máximo;
  • Não fui ao cinema nem ao Teatro (sem meia entrada e sem emprego fica um pouco complicado);
  • Fiz 3 cursos diferentes;
  • Pensei mais de 10 vezes em tentar Mestrado em filosofia;
  • Me arrependi mais de 10 vezes de ter comprado esse computador pelo qual escrevo essas baboseiras;
  • Peguei 1 única vez num carro, ri de nervoso, quase tive um treco e bati em carros parados;
  • Perdi o RG em menos de 3 meses depois da 2ª via;
  • Dispensei um trabalho (escravo) na Ilha do Governador;
  • Pensei e pseudo-planejei viagens pra resolver meus problemas pessoais e profissionais;
  • Neguei, casa, comida e roupa lavada em outro estado da federação (adoro essa expressão);
  • Parei de cantar o pouco que cantava;
  • Falei muita coisa que pensava a muita gente que não queria ouvir, incluindo minha mãe;
  • Virei fã de cinema latino e europeu;
  • Fui no Festival do Rio (não importa em que circunstância, please);
  • Fiz um piercing (mas já era pra ter 2);
  • Fiquei com um número razoável de pessoas (rá! acha que vou contar?!?!?), incluindo gays e gagos;
  • Não me apaixonei nenhuma vez (incluindo descobrir que ‘antes só do que mal acompanhada’ é O ditado!);
  • Fiz cálculos realistas sobre o meu futuro.

Bom, parece idiotice, mas o fato é que nem estou enlouquecendo como estava na mesma época do ano passado (tinha milhões de outras variantes também).
Cheguei num nível de evolução humana que, para mim, para minha pessoa, era algo quase inatingível.

Tá, não nego que passar todos os dias em casa, fazer coisa alguma, sem resolver minha vida profissional e me enrolando na amorosa, nunca foi meu sonho. Mas eu to normal, respirando e bem! Cara, que evolução! To tão orgulhosa de mim, colocaria aquelas estrelinhas douradas na minha cabeça, como os professores faziam nos cadernos quando o dever de casa era bem feito!

Daqui a pouco estamos em 2009, não fiz nada, não alcancei nada, não arranjei emprego, tampouco sei o que realmente quero pra minha vida e também nenhum alguém que esteja no mesmo ritmo que o meu e eu não ligo! Uhu!!! E nem ligo que o tempo tá passando e eu to envelhecendo e não tô fazendo nada! Vou viver esse momento de total loucura antes que eu acorde pra realidade e literalmente enlouqueça!

Anúncios