Nadando na Merda.

Confusão sentimental é um assunto que rende. Rende tanto que tenho alugado todas as amigas possíveis e até as imaginárias que vivem na minha cabeça.

Ainda não sei ao certo se a culpa é minha ou do maldito que vive a me rodear. Ontem foi mais um dia daqueles de papos intermináveis no telefone. E quando digo papo, me refiro a discussão. Por que? Bem, porque ele é um BABACA e eu sou uma IDIOTA. Simples assim.
Ontem, o imbecil deixou claro o que ele queria de mim, apesar de me encher a porra do saco me ligando todo dia e cheio de ciúme de amigo meu. Se não tá afim, pára a palhaçada, oras.
Então, né, vaza. Porque o problema agora vai um pouco além da minha capacidade intelectual de simplesmente cair fora, na boa, feliz.

Capacidade Intelectual? SIM
Porque sendo inteligente e estando com a saúde perfeita, não consigo entender como pude me envolver com ele. Nada contra e tals, quem quiser eu até passo o telefone mas eu, TUDO QUE EU ABOMINO.
A gente só discute.
Ele é brega.
Escuta música brega.
Só faz piada sem graça.
É infantil.
É tacanho.
Fui bem concisa no msn: “sabe aquela pessoa q num grupo normal vc conheceria e não passaria de 10 minutos de conversa e torceria pra nunca mais ver? é ele!”
Então, porque eu cismo? Não sei.

Ai minha querida amiga me lembrou de algo que ela leu no Adorável Psicose, de escolher não querer merdas na minha vida. E eu realmente não quero merdas mas só descobri que esse era um depois que fiquei com ele. E já era tarde demais.

E tiro o lema da minha vida. Até me apaixono por quem não é merda: é maluco. Eu sempre oscilo; pra apaixonar platonicamente, maluco. Pra ficar: merda. Ciclo vicioso, se me permite dizer.

O que tiro disso tudo é: to pagando de otária pra um otário, que faz questão de encher a minha pequena paciência todo fucking day. Preciso sair da merda. Até sei nadar, mas acho que to me afogando.

Sabe do que eu preciso? Que minha fila ande. Voe, tropece no da frente. Mané catraca seletiva.
Fica a dica.

Anúncios

Exercitando a arte do masoquismo

Eu tenho um pé lá. Eu gosto. É a única explicação pra, depois de horas a fio, realizar que o que estou a navegar na web realmente não me traz nada de saudável, pelo contrário: coloca um desespero tão grande dentro de mim que saio daqui e vou dormir aflita. Aí nunca sei porque acordo me sentindo mal.

Mas meu mal mesmo é ser idiota, já falei isso algumas vezes. Pelo menos eu assumo. Tem gente que vive em negação.

2:58 a.m. E eu com papo de maluca. E o sono chegando, melhor, super aterrissado, mas a bobinha prefere mesmo é ficar aqui exercitando essa coisa tão boa e saudável que é a inveja.

Eu gosto de sofrer mesmo. Só pode ser.
Mas sofrer não faz bem. E eu não fico bem.
Eu sou uma contradição?

Cara, quem eu sou?

Post Scriptum: esse masoquismo aí do título nada tem a ver com o sexual, seus pervertidos.

Como ser feio numa sociedade pós-moderna

*Se você é feio, se ninguém nunca te chamou de bonito, aceite o fato e bola pra frente.
*Quando alguém chegar e disser que você está bonito, acredite, você ESTÁ bonito! Guarde o elogio no fundo da sua alma, porque escutar de novo vai ser difícil.
*Provavelmente sua sina será escutar todos dizerem o quão legal você é. Ou como sua personalidade é forte. Coisas do tipo vão, sim, reforçar o fato de que te falta beleza.
*Não saia por aí, com pessoas bonitas, falando mal das feias. Com certeza quando você não está perto, falam a mesma coisa de você.
*Quando você estiver numa crise do tipo: “eu sou muito feio”, não comente com as pessoas. O pior que pode acontecer é alguém te consolar, mas em momento algum dizer que você está errado. Na melhor das hipóteses, vai escutar um típico: “Não fala assim. Que isso”. Não sei o que é pior. A sinceridade ou a pena.
* Se você conseguiu ficar com AQUELA(E) gata(o), existe a grande possibilidade da pessoa estar bêbada. Ou apostou. Ou ficou com pena.
* Nem gaste tempo formulando teses sobre suas amizades. Você será sim, a(o) melhor amiguinha(o) de quase todos, se não todos os seus amigos do sexo oposto. E você arranjará namoradas pra todos eles, se não a maioria.
*Desculpas do tipo, “tem gente que é feio de verdade”, e pessoas mostrando aquelas aberrações são como maconha: alívio imediato. Depois a realidade se encarrega de mostrar a verdade.
* Se acontecer de você arranjar um significant other antes dos seus amigos bonitos, tenha certeza de que eles vão se perguntar o por quê.
* Pessoas podem até quere te arranjar pra alguém, mas será sempre aquela pessoa que desconfiam ser homossexual; ou uma pessoa que, sem querer, querendo, dizem: “ela(e) não tem critério”.

*Mas sempre tem o lado positivo: se você é feio, é bem provável que seja legal. Ser legal e bonito é muita coisa boa numa pessoa só. Deus estava certo de te tirar alguma coisa. Pena que essa sociedade fútil dê valor ao outro atributo. Só que nada na vida é justo. Contente-se.

[talvez seja autobiográfico. Talvez não.]

[extraído de http://sutilcomoumelefante.blogspot.com]